O cheiro de um pensamento

Nasrudin não tinha um centavo e estava enrolado em uma manta, enquanto o vento assobiava do lado de fora.

– Pelo menos – pensou – os vizinhos não vão sentir o cheiro da comida na minha cozinha, e não virão pedir um pouco.

Neste momento, passou por sua mente o pensamento de uma sopa quente e aromática, e durante vários minutos ficou saboreando-a em sua imaginação.

Escutou então alguém bater à porta. Era a filha pequena de seu vizinho.

– Minha mãe me mandou perguntar se tem a sobra de alguma sopa, uma sopa quentinha e bem temperada.

– Deus do céu! – exclamou Nasrudin. – Os vizinhos estão sentindo o cheiro até do meu pensamento!

Fonte:  Nasrudin: 99 Contos, organizado por Felipe Varella e publicado pela Caravana de Livros